domingo, 30 de outubro de 2011

Medo e Segurança - Mia Couto

Recebi este vídeo por Marta Laurito, que me ensinou muitas coisas na vida, e fiquei impressionado com a beleza do texto, a profundidade e a qualidade de tudo que é dito.  Para quem não entende português, aviso que depois de um tempo acostuma. Na segunda vez já dá para pegar tudo. É muito bonito, vale a pena ouvir mesmo!  Esse Mia Couto é um escritor Moçambicano, africano assumido. Ele é uma obra de arte que eu desconhecia, e quero compartilhar com vocês!


quarta-feira, 26 de outubro de 2011

domingo, 23 de outubro de 2011

Professor de Física da UFBa ganha prêmio nacional!

  Página B9 do jornal A Tarde de hoje (23/10/11): "Olival Freire Jr., em conjunto com Osvaldo Pessoa Jr. e Joan Lisa Bromberg, foi o vencedor 2011 do 53o. Prêmio Jabuti 2011, na categoria Ciências Exatas."
  O título do livro premiado é "Teoria Quântica: estudos históricos e implicações culturais", e é um livro aberto para a população em geral. Ou seja, não tem contas. Leiam sem medo. O jornal diz que quem dá o prêmio Jabuti é a Academia Brasileira de Letras, mas não é. Encontrei João Augusto, da Engenharia Mecânica, e ele também ganhou o quarto lugar deste ano com um livro sobre Fadiga.  Ele disse que quem dá o prêmio Jabuti é a Câmara Brasileira do Livro, que de qualquer forma é uma instituição de nível. E nível nacional.
   Os alunos da Física sempre diziam que Olival merecia receber um prêmio, porque, com a instituição do Mestrado em Ensino de Física, tinha levado um monte de mulheres para a nossa escola.  Acabou recebendo por outro motivo. Com Einstein também foi assim. Ele deveria receber o prêmio pela Teoria da Relatividade, mas acabou ganhando pelo Efeito Fotoelétrico.  O pessoal não conseguia entender a importância da Relatividade.
  Talvez também não consigam entender a importância das mulheres no Instituto de Física...

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Apresentações Musicais do nosso grupo

  A apresentação domingo, 23/10/11, na reitoria, foi muito bonita, graças à ótima acústica do local.  Pena que nenhum aluno meu pode estar lá.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Estacionamento da Veterinária interditado - Dia 14/10/11.

   É impressionante!
 
Cheguei para dar aula às 9h, no PAF 5, e, como sempre, entrei pelo lado da Escola de Veterinária, para estacionar lá do lado do PAF 5 mesmo.  É uma rua difícil de passar, pois os carros estacionam dos dois lados, e por isso só dá para passar um de cada vez. Quando vem carro de lá, alguém tem que dar ré para deixar o outro passar.
  Pois hoje, nem bem entrei ali na direita, e já tinha carros dando ré.  Depois de um tempo, uma professora simpática voltava no seu carro, explicando a cada motorista que esperava para entrar que a passagem estava interditada. Não dava para estacionar. Todo mundo começou a contorcer os seus carros para sair do beco sem saída.
  Estacionei no terreno baldio ao lado da futura Escola de Música, e fui andando.  Quando cheguei lá perto que entendi.  Antes da entrada para o estacionamento amplo da Veterinária estava um carro da UFBa, sem nenhum motorista, atravessado de forma que ninguém pudesse passar.  Só dava para ir até o corredor cheio de carros estacionados dos dois lados.  Que maldade!  Nenhuma placa, nem um papelãozinho escrito com piloto:  Atenção: Estacionamento da Veterinária interditado!.  Daria muito menos trabalho botar o aviso na entrada da rua principal, do que o sufoco de alunos e professores que entravam na via apertada, se congestionavam, e tinham de voltar de ré por uns 200 metros.
  Quem será o responsável? Na volta já estava tudo normal. Perguntei a um vigilante por quem cruzei no caminho, e ele disse que não sabia da história, mas que certamente deve ter tido um motivo.
  O importante é a gente tomar sempre cuidado para não cometer uma dessas, cada um no seu ramo de atividade. Se podemos tornar o mundo menos complicado, vamos colaborar! Será que a origem de tudo isso não está no sistema educacional?

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Sobre o prêmio Nobel de Física - 2011

Vejam que esclarecedor este comunicado da SBF (Sociedade Brasileira de Física) sobre a recente premiação do Nobel de Física:

Descoberta de que o Universo está se expandindo em ritmo acelerado,graças a uma força contrária à gravidade, foi feita em 1998 por dois grupos independentes

O Prêmio Nobel em Física de 2011 acaba de ser anunciado pela Academia Real de Ciências da Suécia e vai para um trio de cientistas que abalou as fundações da cosmologia ao constatar que a expansão do Universo está se acelerando.

Metade do prêmio, no valor de 10 milhões de coroas suecas, ficou com Saul Perlmutter, do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley e da Universidade da Califórnia em Berkeley, nos Estados Unidos, enquanto a outra metade foi dividida entre Brian Schmidt, da Universidade Nacional Australiana, e Adam Riess, da Universidade Johns Hopkins e do STScI (Instituto de Ciência do Telescópio Espacial), nos Estados Unidos.

A chave da descoberta foi o estudo de um tipo particular de supernova. Em tese, essas estrelas, denominadas Ia ("um-a"), explodem sempre com a mesma intensidade, o que faz com que seu brilho possa ser usado como uma referência relativamente segura para medir a distância e a velocidade de afastamento (baseada na distorção que a luz sofre ao partir de objetos em movimento na nossa direção, o chamado efeito Doppler).

O grupo de Perlmutter foi o primeiro dos dois a trabalhar com isso, em 1988. Em 1994, Schmidt e Riess se juntaram ao esforço. As equipes queriam usar as supernovas distantes como "faróis" no espaço, de forma a mapear o Universo. Mas o que eles descobriram, ao mesmo tempo, em 1998, foi muito mais assustador.

Os grupos encontraram cerca de 50 supernovas cuja luz era mais fraca do que deveria ser. Ao comparar a velocidade de afastamento delas com a de outras mais próximas, eles descobriram que a expansão do cosmos, iniciada com o Big Bang, está se acelerando.

Por tudo que se sabia até então, a expectativa era de que o ritmo de expansão estivesse sendo paulatinamente contido pela gravidade de todos os objetos do cosmos, atraindo-se uns aos outros e combatendo os efeitos do Big Bang. Contudo, ao que parece, há uma força desconhecida agindo contra a gravidade -- e vencendo.

Nasceu assim o misterioso conceito da energia escura. Sua natureza exata continua um enigma. Há quem defenda que se trata da própria energia contida no vácuo, potencializada pelo aumento de "vazio" entre as galáxias conforme a expansão cósmica foi avançando, mas a palavra final está longe de ser dada. E, como ela parece corresponder a cerca de três quartos de tudo que existe no Universo, fica a sensação de que ainda há muito trabalho a ser feito pelos físicos até que todos os mecanismos do cosmos estejam devidamente esclarecidos.

CONTATOS
Assessoria de comunicação da SBF
Salvador Nogueira
Tel: 0/xx/11 9178-9661
E-mail: comunicacao@sbfisica.org.br